sábado, 29 de março de 2008

Enredos

Deixe que o corpo arda
que a mente alopre
que a alma abrase

Deixe aflorar desejos
explodirem beijos
explorar as formas

Deixe-se entregue e teso
renda-se aos meus enredos

Deixa que eu te faça a cama
que eu te seja a dama
que eu te faça a corte

Deixa que eu te mostre o norte
que eu te abra a fenda
que eu te rasgue a seda

Deixa que eu te cubra o corpo
que te guarde o membro
que te goze em versos.

Moniquinha








3 comentários:

Anselmo Oliveira disse...

Olá, visitei seu Blog
Muito legal
De muito bom gosto
A sua poesia abraços

Cláudia Ferrari disse...

Muito bom o poema.
Q assim seja.
bjs,
Cláudia Efe

Moniquinha disse...

Obrigada Anselmo, beijos!

Valeu Cláudia, beijos!